quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Biografia de José Antunes Moreira

Biografia de José Antunes Moreira.

José Antunes Moreira
Autor: Desconhecido.


Combatendo as tentativas sediciosas de alterar a ordem social, vindouras dos ignominiosos deturpadores que a sociedade enfrenta, disseminando ideais políticos que denotam um apanágio nobre, ele vem se destacando em Turvo nos meios: político, social e econômico.

José Antunes Moreira nasceu a 03 de abril de 1931 em Teixeira Soares, distrito de Angaí, filho de João Antunes e Cristina Baraure Moreira, ela já falecida. Casado com Anair Guedes Moreira e do matrimônio, vieram oito filhos: Rosemari, Bernadete, Elizabeth, Rosane, José Ângelo, Rosemere e João Adolfo.

José Moreira foi agente rural e por 12 anos foi funcionário da Secretaria da Agricultura, quando tomou conhecimento do aparelho agrícola e se interessou pela organização política e pela representação popular. Conhecendo as adversidades do agricultor tendo que deixar sua gleba, as formas de solucionar o problema do êxodo rural, da erosão, do latifúndio, ingressou na política. Arenista a princípio, foi emancipador de Turvo, emancipação essa ocorrida em 12 de maio de1982, tornando-se uma personalidade marcante da história do município. À época da emancipação já era pedessista, partido do qual se filiou para continuar seus afazeres políticos, e ao qual deu crédito por ter uma filosofia igual à sua. Foi membro do Diretório Municipal do PDS, e suas inferências políticas, pressagiosas e acertadas, sempre eram consultadas pelos companheiros de luta que entendem o valor de suas palavras.

Sua plataforma política foi voltada para detalhes, a princípio, insignificantes, mas que somados formam uma rede de trabalhos sumamente importantes ao progresso de Turvo, transparecendo contumaz observador a verdadeira forma de se fazer política, de modo honesto e voltado à comunidade.

Uma de suas metas era abrir um acesso de Turvo a Paiquerê via Curitibinha e Ilhas Bandeiras, chegando a Campina do Simão, este último, é Distrito de Guarapuava. Outra era o segundo acesso ligando Turvo a Guará, passando pelo Posto Indígena de Marrecas e por Guairacá (também distrito de Guarapuava).

Com a sua participação vinculada ao programa do PDS, pretendia ainda a criação dos distritos de Rio Pedrinho, Saudade e Faxinal da Boa Vista. Há um plano de eletrificação rural, baseado num levantamento efetuado, que visando estender o conforto e a utilidade da energia elétrica a vários pontos carentes do município, mesmo os que possuem o sistema de biogás. Ele participou dos projetos de loteamento em Faxinal da Boa Vista e da realização dos já existentes, em Saudade e Rio Pedrinho, labores que assegurarão um passo a mais no desenvolvimento de Turvo, objetivando o agrupamento das famílias rurais nas sedes dos distritos.

Como gerente comercial da Associação dos Hortifrutigranjeiros de Turvo, ele apresentou preocupações com a formação integral do homem do campo, na saúde, na educação e na economia. No seu cargo procurou facilitar a comercialização ao produtor, aumentando a escala comercial, incentivando a produção e expurgando o intermediário do contrato povo-produto. Salienta-se nos seis objetivos como gerente a tentativa de transformar as pontes comerciais em cooperativas, favorecendo a diversificação da produção agrícola e estabelecendo padrões de segurança ao agricultor.

Quando Turvo ainda era distrito, incentivou à criação da oitava série no setor educacional, o que já foi concretizado. Também pleiteou o ensino do segundo grau e cursos técnicos profissionalizantes, além da construção de prédios escolares e reformas nos já existentes, notabilizando-se como um anteparo das más pretensões no âmbito da educação, evitando que o jovem fique sem a sua formação cultural, indispensável ao progresso da nação.

Suas lutas foram muitas. Queria a instalação de postos de serviço nos distritos rurais de Turvo (telefonia), requisita da administração o reflorestamento com árvores nativas no perímetro urbano, mais agências bancárias (como um posto avançado do Banco do Brasil) minimizar os juros nos financiamentos com rígida fiscalização na aplicação da verba, dar alento ao setor de produção industrial facilitando a fixação das indústrias e cobrando a absorção de mão de obra local com a instalação de um distrito industrial e assim por diante.

Sua religião era a católica e como membro da igreja seguia fielmente os preceitos cristãos, todavia, não participava de sectarismos religiosos, raciais ou filosóficos. Entendia que é só com a união de todos os cidadãos brasileiros que a pátria lançará a tão desejada plenitude em termos de democracia, plenitude que o povo arduamente vem conquistando.

Texto extraído do livro: História dos Políticos do Paraná, Edit..., pág 362-363.

Foto: Arquivo pessoal e José Ângelo Moreira.

José Antunes Moreira faleceu no dia 15/12/1983, em Turvo-PR. Seu corpo foi sepultado no cemitério municipal.

A Lei Municipal nº 12 de 1990 nomeou uma rua do município em sua homenagem:

Art. 1º - Ficará assim oficializado a denominação das ruas do loteamento Jardim Filadélfia, de Turvo – PR:


1º - RUA JOSÉ ANTUNES MOREIRA – Sentido norte sul, confrontando-se com as quadras n.º 1, 2, 3, 5, 6, 10, 13, 14, 18, 19, 23, 24, e 26.


Nenhum comentário:

Postar um comentário