segunda-feira, 10 de março de 2014

Resposta à Chapa Oposicionista "Pereira"

Acautele-se contra os homens que não costumam transformar as sua palavras em ações.
Theodore Roosevelt 

Caros Companheiros(as) despachantes,

Sob o título de “Eleições Sindicais” e datada de 04 de março de 2014, a chapa oposicionista veiculou nota, repleta de achaques e astúcias, a merecer a resposta abaixo, que só não foi feita antes por se priorizar o atendimento e a necessidade de trabalho demandados em todo o Estado.

Nessa linha, de se dizer, inicialmente, que a referida nota é preocupante por várias razões.

Preocupa porque ela acaba por revelar que, de fato, ante a ausência de preparo, de propostas concretas e de clareza no modo em que se daria a defesa dos interesses da categoria, a chapa oposicionista aposta no ataque pessoal e no debate de baixo nível como forma de convencimento.

Preocupa, também, porque a comentada nota, se de um lado busca lançar injusta e infundada suspeita sob os integrantes da chapa Everton Calamucci; por outro, parece dizer, que, em verdade, não se deveria combater e refrear, com todas as forças e recursos disponíveis, as inúmeras tentativas de usurpação de nossas atividades, --- de despachantes, não de meros pretensos empresários do ramo de vistoria ---, realizadas por poderosos grupos econômicos, dentre os quais se destaca o beneficiado pela Resolução 282.
  
E preocupa mais, ainda, porque se sabe que os gastos realizados pelo SINDEPAR, ou são voltados ao aperfeiçoamento da categoria, em sua totalidade, como se deu com a realização do “Curso de Atualização”, sem excluir os despachantes do interior, da capital ou da região metropolitana de Curitiba, ou são realizados, como já se disse, na defesa dos interesses da categoria, com prevalência à manutenção, à ampliação e à segurança jurídica de nossas atividades.  

Mas nem só por isso a comentada nota é injusta e infundada, pois ao mesmo tempo em que procurou distorcer manifestação espontânea feita por um companheiro de lida, dizendo que ele teria ofendido a todos aqueles que não se candidataram, quando, em verdade, a afirmação de despreparo foi dirigida exclusivamente à chapa oposicionista, diz que a receita do SINDEPAR tem sido utilizada “para fazer o atual presidente parecer um “líder competente.”
  
A tais disparates, desmerecedores de qualquer valoração, pois todos sabem que as viagens sempre são feitas a trabalho e voltadas a atender de igual modo os colegas do interior do Estado, em constantes reuniões, de se dizer que a resposta a ataques pessoais há de ser dada na votação do próximo dia 28 de março e se porventura sagrar-se vencedora a chapa Everton Calamucci, os próprios integrantes da chapa oposicionista haverão de ser abraçados pela luta, pelo esforço, pela devoção e pela dedicação dispensados em favor do crescimento e do engrandecimento da categoria de despachantes em todo o Estado do Paraná, e não de um único bairro de Curitiba.

E acreditam, sim, os integrantes da chapa Everton Calamucci, ao contrário da chapa oposicionista, que os colegas despachantes, em todo o Estado do Paraná, estejam sempre muito interessados(as) em ouvir o que as pessoas dizem, pois as palavras servem para orientar, revelar e conduzir as ações de todos nós, candidatos ou não a cargo de diretoria.

Mas, talvez pela descrença na capacidade de discernimento dos colegas despachantes ou em suposto desinteresse em ouvir, a chapa oposicionista, a menos de vinte dias das eleições, sequer um plano de trabalho trouxe ao debate, deixando-nos a todos, aí sim, tanto do interior, da capital, como também da região metropolitana de Curitiba, órfãos de informações e de conhecimento acerca das confessáveis (pois as inconfessáveis se pode presumir), pretensões que pretenderiam defender ao longo do mandato.

Por fim, caros amigos, a tragédia maior representada pela debatida nota veio em seu último parágrafo, porque ali se permitiu transparecer que não quer que os amigos do interior votem, uma vez que nas últimas eleições os votos postados em data muito próxima do pleito chegou em Curitiba passados quinze dias das eleições.

E essa pretensão da chapa oposicionista, reprovável por si mesma, fica ainda mais patenteada porque sabedora do atraso verificado nas últimas eleições, prometeu aos colegas nova mensagem contendo “linhas básicas” de sua “política de trabalho”.

Nesse contexto, sempre à disposição de qualquer integrante da categoria para esclarecimentos de toda e qualquer ordem e firmes no propósito de ter a honra de trabalhar em favor do respeito, do reconhecimento e da grandeza merecidos pelos despachantes de trânsito do Estado do Paraná, pedem os integrantes da chapa Everton Calamucci o voto de cada um dos amigos que, além de tudo já realizado, acredita, fielmente, na capacidade de discernimento, de trabalho e de realização de uma luta em prol de todos, indistintamente.

Sinceras saudações, e até 28/03.


Curitiba, 10 de março de 2014.



Nenhum comentário:

Postar um comentário