domingo, 3 de fevereiro de 2013

Ibema e Papirus projetam crescimento em 2013

Mesmo com fusão cancelada e atuando independentes, empresas preveem investimentos para movimentar setor de papelcartão


Por Victor Prates  

31/01/2013 – A notícia da fusão entre a paranaense Ibema Cia. Brasileira de Papel e a paulista Papirus movimentou o mercado de papelcartão nos últimos dois anos. Na época o resultado foi a assinatura de uma carta de intenções com o objetivo de concretizar a fusão que iria somar os 12% de participação da Ibema no mercado interno com os 13% de participação da Papirus.  

A expectativa era que juntas as empresas começassem a operar ainda no primeiro semestre de 2011 e produziram um volume mensal de 15 mil toneladas e controlassem 25% do mercado. Mas através de uma nota, acionistas e executivos das duas companhias anunciaram o cancelamento da fusão.

Para o diretor administrativo financeiro da Ibema, Clécio Chiamulera, o momento que o mercado de papelcartão vivia tornou inoportuno as condições de fusão. “A Ibema encerrou o processo com a Papirus porque o mercado não favorecia essa integração na época”. De acordo com gerente de marketing da Papirus, Eduardo Gianini, cada empresa segue seu gerenciamento. “Trabalhamos nos últimos anos independentemente uma da outra, sem remontar novas conversas”, comentou.

Mercado

Para a Papirus, 2012 foi um ano de mercado interno acirrado e “brigado”, principalmente pela baixa do dólar e a introdução de papelcartão importado. “Com a queda do mercado europeu, as empresas estrangeiras voltaram seus olhares para o Brasil, o que gerou uma disputa nas vendas. Mas considero saudável”, comenta Gianini.   Já a Ibema considera que o ano que passou foi de retração, no qual as indústrias tiveram que se reinventar para alcançar metas, atingir objetivos e buscar mais incentivo do governo federal. Além disso, a indústria de papelcartão não conseguiu repassar a alta dos custos e os volumes vendidos também não cresceram significativamente. “Mesmo assim nossa companhia alcançou as metas e produziu 85 mil toneladas de papelcartão durante o ano, sendo que sua capacidade total é de 90 mil ton. O faturamento ficou em R$ 240 milhões”, exalta Chiamulera.  

Expectativa

Para 2013, Chiamulera ressalta que a Ibema acabou de entrar no Bovespa Mais, segmento de listagem do mercado de balcão administrado pela Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros com foco em atrair investidores.

Para manter-se no mercado, a Ibema aposta ainda na qualidade de serviço e produto, onde repassou aos clientes um reajuste de 9 a 12% a partir de fevereiro de 2012 para cobrir as margens dos custos que foram de 16 a 17%. Além disso, a empresa recém-inaugurou o CDD (Centro de Distribuição Direta) no município de Araucária, no Paraná, com 12 mil m2 e outro em Portugal. O objetivo da empresa é se tornar até 2014 a segunda maior comercializadora de papelcartão do Brasil. “A Ibema tem bons motivos para apostar em um 2013 mais aquecido. Começamos o ano com cinco novos produtos no portfólio, fazendo atuarmos desde o segmento de acoplados até o de embalagens premium. Continuaremos com foco na produção máxima de 90 mil toneladas e prevemos um faturamento de R$ 300 milhões para 2013”, projeta Clécio Chiamulera.

A Papirus também já trabalha nas estratégias para o longo do ano. “Cumprimos nossos objetivos em 2012 e esperamos que este ano seja tão bom quanto no ano passado. Estamos trabalhando com o desenvolvimento de novos projetos nos segmentos de cosméticos, alimentício, farmacêutico entre outros”, conclui Eduardo Gianini.

Fonte: CeluloseOnline.

Nenhum comentário:

Postar um comentário