sexta-feira, 31 de agosto de 2012

O trabalho social que salva vida e dá cidadania



Dona Ana Laurinda Rodrigues, 65 anos, mora na localidade Faxinal da Boa Vista. Cega, depende de uma dos oito filhos para sobreviver. A vida da mulher, já na idade avançada, nunca foi fácil, mas piorou quando ficou doente. Mãe de dois filhos deficientes mentais, Dona Ana, atém bem pouco tempo atrás, sobrevivia em condições de miserabilidade. O barraco abrigava, além da idosa e de uma filha com deficiência mental, uma ninhada de cachorros. “Eu vivia no meio da miséria, da sujeira. Os cachorros comiam tudo o que os vizinho me levavam, já que a Tereza (filha) ficava internada no hospital”, conta. “Eu tinha bicho nos pés, nas mãos. Sofria muito. Quando chovia a minha casinha molhava. Eu passava muito frio e tinha fome”, relembra.


Sem certidão de nascimento, Dona Ana não sabe nem a idade que possui e muito menos tinha acesso a qualquer tipo de auxílio do Governo. Mas essa realidade mudou. “Um dia a assistência social com a mulher do prefeito foi lá e me tirou e trouxe pra cá”, relata. Dona Ana se refere à casa de três cômodos, incluindo banheiro com chuveiro, cozinha e quarto que foi construída atrás da casa de uma das filhas. “Agora eu sou bem tratada, tomo mate e cada passo as crianças trazem comida”, diz.



Além da casa, bem segura, limpa e confortável, do carinho da filha e dos netos, Dona Ana agora é cidadã. “A muié (mulher) do prefeito me levou pra fazer exames e documentos e conseguiu me aposentar. Agora eu estou bem, graças a Deus”.
Para estimar a idade de Dona Ana foi feito exame que mediu a idade óssea da idosa, atestando que Dona Ana possui 65 anos, embora a aparência sofrida revele que possui muito mais. A idosa recebe um benefício do Governo (beneficio de prestação continuada), cujo valor é administrado pela filha. Esse benefício é destinado à pessoas cuja família possui renda per capita inferior a ¼ do salário mínimo. Foi com esse dinheiro que a família de Dona Ana, orientada pela Secretaria Municipal de Assistência Social, comprou o material e construiu a casinha de madeira.


Fonte: www.marcosseguro.com.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário